Documentário lançado pela HBO Max relembra o assassinato de Daniella Perez

Daniella Perez e Glória Perez
Foto: Arquivo

O documentário “Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez” passa a limpo um dos crimes mais brutais e sem sentido da história recente do país. Há quase 30 anos, a atriz Daniella Perez, filha da autora Glória Perez e protagonista da então novela das 9h, foi assassinada a golpes de tesoura pelo colega de elenco Guilherme de Pádua e sua esposa Paula Thomaz. 

Por conta da cobertura sensacionalista da mídia, o crime se confundiu com a ficção, onde Daniella e Guilherme faziam par romântico no folhetim “De Corpo e Alma”. O público acompanhava cada notícia do crime como se acompanhasse uma “novela da vida real”, cuja investigação foi recheada de falhas e deu margem a especulações a respeito do relacionamento dos atores fora do estúdio. Tanto Daniella como Guilherme eram casados, e ao contrário do que se insinuava, não mantinham um relacionamento amoroso extraconjugal. O crime teria sido motivado pela rejeição de Daniella ao assédio de Guilherme, bem como pelo ciúme doentio da esposa do ator, Paula Thomaz.

Em cinco capítulos, o documentário pretende contar a história do crime sem o sensacionalismo que contaminou a imprensa na época dos fatos. Também foi produzida sem ouvir os assassinos confessos, justamente para que não encontrassem espaço para defender o indefensável. Veja o trailer oficial clicando aqui.

No último dia 21 foram lançados os dois primeiros episódios, e nesta semana saem os três últimos. As entrevistas com amigos e familiares da atriz, apresentadas nos dois primeiros capítulos, contam quem era Daniella antes da fama, seu relacionamento com a família, sua paixão pela dança e o casamento com o marido Raul Gazolla. Além disso, mostram a comoção em torno do velório e do enterro da atriz, a colaboração de amigos e colegas de elenco na investigação, cenas da prisão dos acusados e entrevistas com investigadores, peritos e jornalistas que cobriram o caso.

Daniella tinha apenas 22 anos quando foi assassinada. “Em mais de 40 anos de jornalismo, foi uma das coisas mais chocantes e monstruosas que eu vi na vida”, disse Glória Maria, da TV Globo, sobre o crime.

O assassinato de Daniella Perez até hoje choca pela brutalidade, e o documentário tem sido muito bem recebido pelo público. Fãs do gênero true crime o definem como um dos melhores  já feitos. Pouco depois do assassinato da filha, Glória Perez realizou uma campanha na qual conseguiu mais de 1,3 milhão de assinaturas pedindo a inclusão do homicídio qualificado na lista de crimes hediondos, alterando assim a lei vigente na ocasião. Veja a matéria completa publicada pelo Estadão sobre a mudança da lei clicando aqui.

Paula Thomaz e Guilherme de Pádua foram presos e julgados por homicídio duplamente qualificado, ou seja, por motivo torpe e sem reação da vítima. Paula foi condenada a 18 anos e meio de prisão, e Guilherme, a 19 anos de prisão.

Logo depois de serem presos, Guilherme e Paula se separaram. Ambos foram libertados antes de cumprirem sete anos de pena, em 1999. Guilherme de Pádua, atualmente, é pastor de uma igreja evangélica em Minas Gerais e se casou com Juliana de Assis Lacerda, que publicamente defende a inocência do marido. Já Paula Thomaz mudou o sobrenome para Peixoto e vive discretamente no Rio de Janeiro, onde cria uma filha com seu atual marido, o advogado Sérgio Rodrigues Peixoto. Ambos reconstruíram suas vidas e dão, até hoje, versões diferentes do que teria acontecido no dia do crime.

O documentário “Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez” está disponível na HBO Max. Para assinar a plataforma de streaming, clique aqui.

Quer mais dicas e novidades de Alphaville e arredores? Inscreva-se na nossa newsletter! É grátis! Semanalmente, você receberá os destaques do A&A no seu e-mail:

https://bit.ly/2M4XhD2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assinar Newsletter
close slider

    Já se inscreveu na nossa Newsletter?

    O que você está esperando?