Pediatras orientam sobre como lidar com as crianças durante a quarentena

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou no dia 27/3 um documento científico com recomendações práticas para as famílias lidarem com as crianças e adolescentes durante o confinamento imposto pela pandemia de COVID-19.

– Os adultos devem discutir em conjunto as atividades prioritárias do dia a dia e estabelecer horários para realizar as tarefas e obrigações. Os afazeres devem ser preferencialmente intercalados de forma que as crianças recebam atenção e permaneçam sob supervisão.

– É fundamental realizar o planejamento da agenda dos filhos e incentivar o equilíbrio de horários para manter em dia as atividades de estudo e leitura, exercícios físicos, sono e ócio criativo.

– O tempo de tela deve respeitar os limites definidos pela SBP para cada faixa etária – 1 hora para 2 a 5 anos; 1-2 horas para 6 a 10 anos; e 2-3 horas para 11 a 18 anos.

– Inserir as crianças e adolescentes nas tarefas domésticas respeitando a capacidade de acordo com a idade de cada um.

– Incluir na agenda momentos para que a família possa estar unida de forma alegre e prazerosa. Tente realizar as refeições junto.

– Intercalar períodos de atividades físicas dentro do lar em mais de um horário do dia e, se possível, fazer as atividades em conjunto, com a participação de pais e filhos. Estimule a criatividade: criar circuitos com travesseiros e garrafas plásticas; pular corda; dançar; artes marciais, dentre outros.

– Usar a tecnologia a favor de todos. Estimular os avós a terem conversas alegres – por videoconferência, com momentos de descontração. Visualizar os avós em boa saúde pode tranquilizar as crianças.

– Os pais devem ensinar como higienizar corretamente as mãos, proteger o rosto ao espirrar ou tossir e evitar o contato físico. As orientações podem ser fornecidas por meio de ferramentas lúdicas, como músicas, leituras e brincadeiras.

– É necessário conversar sobre a situação atual, com linguagem simples e adequada a cada idade. As informações devem ser transmitidas de forma tranquila para evitar medo, ansiedade e elevação do estresse.

– Os pais devem fornecer condições, a partir de um ambiente acolhedor e de apoio mútuo, para que os filhos expressem seus sentimentos e suas dúvidas.

– Importante reservar um a dois momentos do dia para que os adultos possam se atualizar em relação às informações, sem expor as crianças a conteúdos inadequados.

– Os pais devem assumir o papel de referência, exercendo eles mesmos o padrão de comportamento que esperam dos filhos.

Mais informações, no www.sbp.com.br

Foto: cottombro from Pexels

Quer mais dicas e novidades de Alphaville e arredores? Inscreva-se na nossa newsletter! É grátis! Às sextas, você receberá os destaques do A&A no seu e-mail: https://bit.ly/2M4XhD2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *