Hospital de Barueri busca voluntários para estudo contra a Covid-19

O Hospital Municipal de Barueri Dr. Francisco Moran (HMB) começou a recrutar candidatos para um estudo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) com uso do medicamento Nitazoxanida, também conhecido como Anitta, no combate ao vírus Sars-Cov-2. O objetivo do estudo é investigar se a administração precoce do remédio tem capacidade de reduzir a progressão da doença, a gravidade e a mortalidade por Covid-19.

Para participar, os candidatos com sintomas gripais, como febre, tosse seca e/ou fadiga, precisam comparecer ao HMB em até três dias do início dos sintomas. O acolhimento será feito diariamente, das 8h às 17h, em uma carreta de atendimento, que foi instalada na entrada da unidade. A previsão é que a carreta permaneça por lá até o final de julho.

Após avaliação clínica, o participante assina um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e realiza um exame para diagnosticar a Covid-19. Com a confirmação, outros exames são feitos para possibilitar o acompanhamento do quadro e a ministração do medicamento durante cinco dias.

O HMB já faz parte do grupo de pesquisa, composto por 17 hospitais em todo o Brasil, que realiza testes clínicos com o remédio Nitazoxanida no tratamento contra a Covid-19 para pacientes internados. Para essa primeira fase da pesquisa, que teve início em maio, o hospital já conta com mais de 90 voluntários.

Visita do ministro
No dia 2/7, o ministro Marcos Pontes, o secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas do MCTI, Dr. Marcelo Morales, e o secretário de Empreendedorismo e Inovação, Paulo Alvim, compareceram ao hospital para realizar a abertura oficial da ação #500VoluntáriosJÁ na cidade.

“Com a nossa estrutura de pesquisa, identificamos que a Anitta representou 94% de inibição da carga viral in vitro. E agora nós estamos na fase de testes com pessoas. O primeiro protocolo é feito para pacientes que já estão internados, inclusive aproveito para ressaltar que Barueri é a cidade que mais conseguiu voluntários nessa primeira etapa. E o segundo protocolo, que estamos iniciando hoje, é voltado para qualquer pessoa com mais de 18 anos que esteja com sintomas gripais. A intenção é descobrir um remédio o mais rápido possível para que os médicos consigam tratar a doença em estágio inicial sem que haja necessidade de internação”, comentou Pontes, que reforçou a importância de cada voluntário para ajudar no próprio tratamento e contribuir com a pesquisa do país.

Foto: Fernando Foca / Secom

Quer mais dicas e novidades de Alphaville e arredores? Inscreva-se na nossa newsletter! É grátis! Semanalmente, você receberá os destaques do A&A no seu e-mail: https://bit.ly/2M4XhD2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *