O poder de decidir seus hábitos

O poder de decidir seus hábitos
Créditos: Chenspec / Pixabay

Por Jackie Falheiro

Como você começou a sua manhã hoje? Muito provavelmente você iniciou o seu dia com as mesmas atividades rotineiras: tomou o seu café, colocou a sua roupa, foi à academia ou foi trabalhar, levou seu filho para a escola. Você já percebeu que algumas atividades da sua rotina são executadas no piloto automático? Nós, diariamente, fazemos várias tarefas sem perceber que elas se tornaram hábitos.

Estamos acostumados com atividades que não nos demandam muitos esforços mentais. Nosso cérebro sempre vai querer economizar energia. O problema não é a rotina, mas sim os hábitos que nos trazem prejuízos à saúde física e mental. Já percebeu que somos mestres em dar justificativas quando o assunto é fazer mudanças que exigem empenho e resiliência? Empurramos com a barriga para começar uma atividade física; a dieta fica para depois do feriado ou após a festa de aniversário do amigo; até mesmo evitamos confrontar aquela relação tóxica que já não nos cabe mais!

A neurociência diz que o córtex pré-frontal é a região cerebral ligada ao planejamento de comportamentos e à tomada de decisão, ele regula emoções, inibe impulsos, analisa riscos e é responsável pelo autocontrole. Quando uma pessoa bebe um pouco a mais, essa região é afetada, por isso, alguns perdem a noção.

Quando a decisão é tomada, o córtex pré-frontal é ativado. Se você deseja sair de algo que não te faz bem, seja um hábito, uma relação ou mesmo começar uma dieta, ative primeiro sua atenção e concentração nas mudanças que precisam ser realizadas. Busque motivações, seja paciente e resiliente, livre-se dos gatilhos que te fazem parar no meio do caminho…

Como assim, Jackie??? Por exemplo, você está começando uma dieta, chega sexta-feira à noite, você já está exausto, se joga no sofá e no automático pede uma pizza pelo app. Como desarmar esse gatilho de recompensa? Aquele pensamento de que trabalhei muito a semana inteira, estou cansado e mereço comer uma pizza e maratonar uma série?

Neste caso, um pequeno ajuste já faz diferença nas mudanças de hábitos. E se primeiro você fosse à cozinha, fizesse um prato saudável e só depois se jogasse no sofá? Tenha em mente que você precisará de paciência, foco, determinação, resiliência e que demora um tempo até seu cérebro se acostumar a um novo hábito.

Ainda existem estudos em andamento que contestam essas quantidades de dias “mágicos”, 21 dias, 60 dias para o cérebro se acostumar ao hábito, mesmo porque depende muito do tipo de hábito que será adotado na sua rotina, uns serão mais desafiadores e irão exigir mais empenho, já outros serão mais fáceis de serem incorporados. O importante é ter clareza do que você deseja para sua vida no futuro, seja na área afetiva, emocional ou na saúde. Ter definido seu objetivo já é meio caminho andado para traçar metas, acertar rotas e escolher estratégias para ter hábitos saudáveis na sua rotina. Afinal, já dizia Sêneca, “Se um homem não sabe a que porto se dirige, nenhum vento lhe será favorável”.

Abraço apertado,

Jackie Falheiro
Jornalista/roteirista– storyteller e amante da neurociência
Instagram @jackiefalheiro

Quer mais dicas e novidades de Alphaville e arredores? Inscreva-se na nossa newsletter! É grátis! Semanalmente, você receberá os destaques do A&A no seu e-mail: https://bit.ly/2M4XhD2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.